Dia Internacional da Educação: contra o discurso de ódio e pelo reforço da Educação Pública

https://youtube.com/watch?v=d0JYfS1Ppjo%3Fecver%3D2%26rel%3D0%26modestbranding%3D1

24 de janeiro é o Dia Internacional da Educação e, em 2024, a UNESCO dedica as celebrações ao papel crucial que a educação e os professores desempenham no combate ao discurso de ódio, um fenómeno que se multiplicou nos últimos anos com a utilização das redes sociais, degradando o tecido das nossas sociedades.

O mundo está a assistir ao surgimento de conflitos violentos, associados a um aumento alarmante da discriminação, do racismo, da xenofobia e do discurso de ódio. O impacto desta violência ultrapassa qualquer fronteira geográfica, de género, raça, religião ou política, offline e online. Um compromisso efetivo com a paz é hoje mais urgente do que nunca: A educação é fundamental para este objetivo, tal como sublinhado na Recomendação da UNESCO sobre a Educação para a Paz, os Direitos Humanos e o Desenvolvimento Sustentável. A aprendizagem para a paz deve ser transformadora e ajudar a capacitar os alunos com os conhecimentos, os valores, as atitudes, as competências e os comportamentos necessários para se tornarem agentes da paz nas suas comunidades.

Para auxiliar os seus Estados-Membros e os profissionais da educação a combater o discurso do ódio através da educação, a UNESCO disponibiliza uma série de orientações e de recursos que podem ser consultados aqui.

Internacional da Educação lembra que a educação é um direito humano, um bem público e uma responsabilidade pública. Sistemas de educação públicos, gratuitos e de qualidade, totalmente financiados e liderados por uma profissão docente forte, valorizada e respeitada, são a forma mais eficaz de garantir o direito à educação para todas as crianças em todo o mundo.

É por isso que professores e educadores de todo o mundo se mobilizaram para a campanha da International da Educação ”Go Public! Fund Education“. Estamos juntos pela educação pública, pelo futuro que os nossos alunos merecem, pelos salários dignos e pelas condições de trabalho que os professores e educadores merecem.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Prev
Os gatos mortos na educação

Os gatos mortos na educação

Os gatos mortos na educação – Miguel Herdade – SÁBADO (sabado

Next
“Não frequentar a escola é tão mortal como fumar ou beber muito”, diz estudo

“Não frequentar a escola é tão mortal como fumar ou beber muito”, diz estudo

É o primeiro estudo que associa diretamente a educação a ganhos de longevidade e

You May Also Like
Total
0
Share