Fenprof considera proposta do PSD para recuperação do tempo de serviço “um avanço”

Fenprof considera proposta do PSD para recuperação do tempo de serviço “um avanço” – SIC Notícias (sicnoticias.pt)

O Governo e os sindicatos dos professores voltam esta segunda-feira à mesa das negociações. A reunião será centrada na discussão do diploma sobre as habilitações para a profissão. A Fenprof já reagiu à proposta apresentada pelo PSD para recuperar o tempo de serviço, considerando-a “um avanço”.

O Ministério da Educação quer alargar o leque de potenciais candidatos aptos a dar aulas. No entanto, os sindicatos discordam.

Outro ponto de discórdia entre o Governo e os professores é o descongelamento do tempo de serviço – os seis anos, seis meses e 23 dias. Esta medida teria um custo total estimado em 300 milhões de euros.

Como forma de encontrar uma solução, o PSD propôs o pagamento do tempo de serviço de forma faseada, durante cinco anos, atribuindo 20% a cada ano.

A Fenprof diz que a proposta do PSD é “um avanço“, afirmando que poderá ser um ponto de partida para eventuais negociações.

“A proposta do PSD é uma proposta que, não só temos em consideração, como também pode ser um ponto de partida para negociar. Achamos que é positivo ter havido esta proposta e esperemos que a mantenham”, disse Mário Nogueira

O secretário-geral da Fenprof sublinha ainda que esta proposta é “o reconhecimento de que este tempo de serviço tem de ser recuperado e que não é a recuperação desse tempo de serviço dos professores que vai levar o país à desgraça, à falência“.

O custo da recuperação do tempo de serviço “é um valor que já é mais baixo do que aquele que se tem vindo a falar, os 300 milhões de euros, na medida em que cada ano que passa são mais três ou quatro mil professores que se reformam“, afirmou o líder sindical.

Para Mário Nogueira, “o Governo já devia ter percebido que é uma questão de justiça e que este é um problema que, se for resolvido, é a forma das escolas voltarem a ter tranquilidade“.

O PSD propôs este fim de semana um plano de pagamento faseado do tempo de serviço congelado em cinco anos, com um custo total estimado em 300 milhões de euros.

Marcelo não comenta a proposta do PSD

O Presidente da República não comenta a proposta do PSD sobre a recuperação do tempo de serviço dos professores. Marcelo Rebelo de Sousa diz que já a recebeu mas que ainda não a conhece em pormenor.

“Não tenho conhecimento ainda da proposta, sei que me foi enviada pelo líder do PSD, mas não a conheço e, portanto, não queria pronunciar -me, nomeadamente aqui, neste momento, no estrangeiro, sobre uma proposta que não conheço em pormenor”, disse o Chefe de Estado.

“Não tenho conhecimento ainda da proposta, sei que me foi enviada pelo líder do PSD, mas não a conheço”

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Article

Novas regras. Governo quer que professores com habilitação própria possam fazer mestrado mais curto e quer estagiários a receber

Next Article

Trabalhadores de escola em Lisboa em protesto contra assédio moral

Related Posts