S.TO.P. irá dar o apoio jurídico a todos os sócios com faltas injustificadas

Dia 18 de março num Encontro Nacional de Comissões sindicais e de greve dinamizado pelo S.TO.P. decidiu-se coletivamente fazer uma sondagem/auscultação para ver o número de Profissionais da Educação que estariam dispostos a exercer o seu direito à resistência perante os Serviços Mínimos (SM) ilegais. O colega Luís Costa dinamizou essa auscultação e serão milhares de colegas dispostos a exercer esse direito.

O S.TO.P. já pediu ao Ministério da Educação uma lista dos Profissionais da Educação que, por terem exercido o seu direito à resistência perante os SM, vão ser alvo de faltas injustificadas e/ou processos disciplinares.

No entanto, para que essa tomada de posição possa ter o maior impacto e efeito possível é fundamental que novamente, de forma coletiva, se decida qual o melhor momento para fazer esse direito à resistência (minorando ao máximo o risco de faltas injustificadas e/ou processos disciplinares).

Concluindo, o S.TO.P. irá dar o apoio jurídico a todos os sócios que tenham exercido esse direito e tenham faltas injustificadas e/ou processos disciplinares. No entanto, apelamos a que também devemos juntos decidir qual o melhor momento para o fazer. Nesse sentido, convidamos todos os sócios a participarem na próxima Assembleia Geral de Sócios do S.TO.P. de 20 de maio (sábado) em Coimbra onde será abordada esta questão.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Previous Article

Mais um caso de violência contra um Profissional da Educação

Next Article

Greve Às Provas de Aferição Sem Serviços Mínimos - 5 a 11 de maio

Related Posts