O Barco Está a Afundar… – 27 já foram de vela

Desde o meio da tarde desta segunda-feira, as “demissões” começaram a multiplicar-se, começando com os responsáveis pelos exames da zona Norte, seguindo-se o Centro e, finalmente, Lisboa

Coordenadores de agrupamento de exames colocam lugares à disposição (dn.pt)

Todos os agrupamentos de exames – responsáveis pela elaboração e classificação de provas – do Norte, Centro e Sul bateram com a porta, desagradados com a “desconsideração pelo seu trabalho por parte do Ministério da Educação (ME)”.

O DN apurou com várias fontes que, desde o meio da tarde desta segunda-feira, as “demissões” começaram a multiplicar-se, começando com os responsáveis pelos exames da zona Norte, seguindo-se o Centro e, finalmente, Lisboa. Há, a nível nacional, 35 agrupamentos de exames. Norte, Centro e Lisboa totalizam 27.

Recorde-se que esta semana ficará marcada pela realização de provas de aferição do 5º e 8º ano.

Questionada pela DN, uma fonte afirma que o braço de ferro entre os coordenadores de agrupamento de exames e o ME poderá pôr em causa a realização das provas, bem como a sua classificação. Contudo, a lei prevê que os coordenadores de exames se devem manter em funções até que se encontrem substitutos, mas também prevê a possibilidade de demissão por parte dos docentes que integram as equipas de coordenação. Sabe o DN que os professores já manifestaram essa vontade, caso não haja entendimento entre o ME e os coordenadores de exames. Neste cenário, a realização de exames nacionais estaria comprometida.

Questionado pelo DN, o Ministério da Educação afirma que “tem estado a acompanhar a situação das estruturas do Júri Nacional de Exames, estando envolvido na procura de soluções que venham a garantir o pleno funcionamento das mesmas”. “No quadro atual, a realização das provas de aferição encontra-se assegurada, cumprindo-se a calendarização prevista”, acrescenta o ME.

Os coordenadores de agrupamentos de exames têm vindo a mostrar desagrado desde o corte salarial, aquando da troika. À questão salarial somam-se pedidos para rever outras condições laborais, como a carga horária para os professores que são responsáveis pela elaboração dos exames em simultâneo com a sua atividade letiva nas escolas onde estão colocados.

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Prev
Fenprof abandona reunião com o ME

Fenprof abandona reunião com o ME

Fenprof abandona reunião com Governo e acusa ministro de ″falta de

Next
IAVE: “Até os alunos conseguem instalar a aplicação”

IAVE: “Até os alunos conseguem instalar a aplicação”

IAVE reage a críticas de professores sobre provas de aferição:

You May Also Like
Total
0
Share