Prorrogação das ações específicas do Plano 21|23 Escola+ | Resolução do Conselho de Ministros n.º 66/2022

Resolução do Conselho de Ministros n.º 66/2022

Nos termos da alínea g) do artigo 199.º da Constituição, o Conselho de Ministros resolve:

1 — Determinar que se mantêm em vigor, durante o ano letivo de 2022/2023, as ações específicas «2.1.1 — reforço extraordinário de docentes», «2.1.2 — reforço dos planos de desenvolvi�mento pessoal, social e comunitário» e «2.1.3 — reforço das equipas multidisciplinares de apoio à educação inclusiva», previstas no Plano 21|23 Escola+, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 90/2021, de 7 de julho.

2 — Determinar a realização, através de amostra a definir pelo Instituto de Avaliação Educativa, I. P., de um estudo amostral de avaliação das competências dos alunos dos 3.º, 6.º e 9.º anos, do ensino básico, nas áreas de literacia de leitura, informação, matemática e ciências, previsto no «eixo 3 — conhecer e avaliar» do Plano 21|23 Escola+, cujos resultados concorrem para a produção de indicadores de recuperação.

3 — Estabelecer que no ano letivo de 2022/2023 são excecionalmente abrangidos pelas tutorias previstas no artigo 12.º do Despacho Normativo n.º 10 -B/2018, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 129, de 6 de julho de 2018, os alunos dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do ensino secundário que, no ano letivo de 2021/2022, não transitam para o ano de escolaridade seguinte.
4 — Determinar que se mantêm em vigor as regras de organização do ano letivo nos estabelecimentos públicos de educação pré -escolar e dos ensinos básico e secundário, previstas no Despacho Normativo n.º 10 -B/2018, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 129, de 6 de julho de 2018, com as especificidades constantes na presente resolução e na Resolução do Conselho de Ministros n.º 90/2021, de 7 de julho.
5 — Estabelecer que se mantêm em vigor, durante o ano letivo de 2022/2023, com as necessárias adaptações, os n.os 2, 4 a 19, inclusive, e 21 da Resolução do Conselho de Ministros n.º 53 -D/2020, de 20 de julho.
6 — Determinar que a presente resolução produz efeitos na data da sua aprovação
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Prev
2 meses para acabar “discriminação” dos professores contratados

2 meses para acabar “discriminação” dos professores contratados

Bruxelas ameaça levar Portugal a tribunal se não acabar “discriminação” dos

Next
Quatro em dez alunos com necessidades especiais não têm apoio direto especializado

Quatro em dez alunos com necessidades especiais não têm apoio direto especializado

Expresso | Quatro em dez alunos com necessidades especiais não têm apoio direto

You May Also Like
Total
0
Share